Archive for maio \23\UTC 2009

lights will guide you home.

maio 23, 2009

bresson

“… sabe que o meu gostar por você chegou a ser amor? pois se eu me comovia vendo você. pois se eu acordava no meio da noite só pra ver você dormindo, meu Deus como você me doía vez em quando. eu vou ficar esperando você numa tarde cinzenta de inverno bem no meio duma praça então os meus braços não vão ser suficientes pra abraçar você e a minha voz vai querer dizer tanta mas tanta coisa que eu vou ficar calada um tempo enorme só olhando você sem dizer nada. só olhando e pensando meu Deus, como você me dói vez em quando.”

– Caio Fernando Abreu –

wind of change

maio 14, 2009

superação

eu ando assim meio encurralada entre uma sucessão de histórias do passado e sonhos para o futuro mas não sinto fome medo nem dor de estômago porque esses dias decidi mudar de cidade de trabalho de contexto de corte de cabelo deixei pra trás o conforto o salário garantido rostos conhecidos amigos devotos e mágoas domesticadas eu sei que mudar envolve riscos de ir e querer voltar de lutar e não conseguir de correr e nunca chegar de comer e nunca me saciar a vida é assim cheia de inseguranças e ansiedades e medos e temores e decisões e culpas eu sei que as farmácias estão cheias de medicamentos que remediam essa angústia essa ânsia do viver mas o melhor remédio é enfrentar a realidade e aprender mesmo com medo eu confesso que sou muitas vezes contraditória sonho desejo quero mas ao mesmo tempo temo o fracasso a derrota a vergonha do abandono e daí penso tanto que amarelo e me canso e me deprimo e sofro e não é fácil entender porque relutamos tanto em mudar mesmo quando está tudo dando errado tudo bem que o medo é natural uma defesa mas chega um ponto em que é preciso parar de olhar pra trás e pra frente e focar no presente no hoje e enxergar que o tempo ajudará no processo de adaptação na capacidade de perdoar de esquecer e ensinará a amar in-con-di-cio-nal-men-te então não vale  a pena se acomodar pra não ralar pra salvar a pele pra evitar feridas sangramentos e poupar os nervos já que aos poucos a vida se gasta e se desgasta naturalmente e se acostuma e se perde de si mesma eu confesso que tenho mais medo de me acomodar do que mudar por isso sempre que possível caminho para o desconhecido porque  aprendi que não é possível controlar o incontrolável e prever o imprevisível e já aprendi também que a incerteza me apavora mas também me ensina a confiar e certezas o futuro nunca vai me dar mesmo por isso é necessário ousar e usar a cada manhã a invisível força da esperança e da fé mesmo sabendo que  um dia vou ser a caça mas em outro posso ser também o caçador e a vida é assim uma aventura e a beleza do viver sem dúvida é o im-pre-vi-sí-vel por isso não vale ficar parado porque convenhamos quem não tenta e nem se arrisca já é um perdedor por antecipação.

“Em luta, meu ser se parte em dois. Um que foge, outro que aceita. O que aceita diz: não. Eu não quero pensar no que virá: quero pensar no que é. Agora. No que está sendo. Pensar no que ainda não veio é fugir, buscar apoio em coisas externas a mim, de cuja consistência não posso duvidar porque não a conheço. Pensar no que está sendo, ou antes, não, não pensar, mas enfrentar e penetrar no que está sendo é coragem. Pensar é ainda fuga: aprender subjetivamente a realidade de maneira a não assustar. Entrar nela significa viver.” (Caio F.)

25-movies-I-love

maio 2, 2009